Dia Mundial do Câncer

Médico artigo 2 (Fev 2019)

O dia 4 de fevereiro é destinado à conscientização de umas das doenças mais incidentes do mundo, o câncer. O Dia Mundial do Câncer é uma campanha que visa aumentar os esclarecimentos sobre os diversos tipos da doença, mobilizando instituições e indivíduos.
 
Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), estima-se a ocorrência de 600 mil novos casos de câncer no Brasil em 2019. No mundo, os tipos mais incidentes da doença são pulmão (1,8 milhão), mama (1,7 milhão), intestino (1,4 milhão) e próstata (1,1 milhão).
 
O câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm como causa comum as mutações no interior das células, que passam a crescer desordenadamente e invadir tecidos e órgãos. “Quando se dividem, essas células tendem a ficar mais agressivas e descontroladas, o que vai determinar a formação de tumores e até uma possível metástase”, explica Dr. Henrique Pasqualette, diretor médico CEPEM.
 
Normalmente, a doença não apresenta uma causa única e definitiva. Diversas questões estão relacionadas ao aumento do risco de desenvolver o câncer como idade, histórico familiar, hábitos de vida e fatores ambientais. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), pelo menos um terço dos casos poderiam ser evitados com atitudes como deixar de fumar, realizar atividades físicas, alimentar-se de forma adequada e evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas.
 
Outro fator preocupante é a negligência em relação aos exames de rotina e à consulta anual de check-up. “A maioria dos cânceres não apresenta uma prevenção determinada, mas a população pode se beneficiar da medicina preventiva para a detecção precoce e o controle do avanço”, afirma o especialista.
 
Por meio da prevenção primária, ou seja, com a melhora dos hábitos de vida e a realização regular de check-ups e exames, é possível reduzir os fatores de risco do câncer. “Já o objetivo da prevenção secundária é detectar e tratar doenças pré-malignas (por exemplo, lesão causada pelo vírus HPV ou pólipos nas paredes do intestino) ou cânceres assintomáticos em estágio inicial”, pontua Dr. Henrique. A detecção precoce da doença inclui exames de imagens como tomografia computadorizada, ressonância magnética, ultrassom e mamografia, que ajudam no diagnóstico preciso da doença e mostram a possível evolução.
 
A informação correta e o esclarecimento sobre o câncer são importantes aliados para o seu controle, bem como a adesão das recomendações básicas: hábitos saudáveis, consultas regulares e exames anuais.
 
No Rio de Janeiro, o CEPEM é referência em exames diagnósticos, oferecendo a mais moderna tecnologia em exames como tomografia computadorizada, ressonância magnética, ultrassom, mamografia e sistemas de biópsia. Somos pautados pela excelência científica e o relacionamento próximo, acolhedor e humanizado com os pacientes. Para mais informações, entre em contato com nossa equipe pelo telefone (21) 2266-8000.

Share