Atenção especial com sua pele na estação mais quente do ano

Paciente artigo 1 (Jan 2019)

No auge da estação mais quente do ano, os cuidados com a pele merecem ainda mais atenção. Seja para fazer uma caminhada, dar um mergulho na praia ou realizar atividades rotineiras, os raios UVA e UVB nos atingem diariamente. Em excesso e sem a devida proteção, esses raios danificam as estruturas da pele, causando malefícios que vão desde queimaduras solares até câncer pele.
 
O câncer de pele
Para o Brasil, estimam-se 165 mil casos novos de câncer de pele não melanoma para cada ano do biênio 2018-2019, respondendo por 30% de todos os diagnósticos da doença no país. Já o câncer de pele melanoma, agressivo e mais raro, representa apenas 3% das neoplasias malignas.
 
A doença é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. Estas células se dispõem formando camadas e, de acordo com a região afetada, definem-se os diferentes tipos de câncer. Os mais comuns são os carcinomas basocelulares e os espinocelulares (tipos conhecidos como “não melanoma”).
 
Em casos de câncer não melanoma, a doença se desenvolve em áreas muito expostas ao sol, como cabeça, face, pescoço e dorso das mãos. O sinal de alerta é uma lesão que não cicatriza em 28 dias. Com o diagnóstico e tratamento precoce, é altamente curável. Já o melanoma se origina nos melanócitos, células produtoras de melanina. Na maioria dos casos, as pintas apresentam uma coloração marrom ou negra. A gravidade é por conta do diagnóstico tardio. Portanto, assim que for observada alguma alteração de cor, tamanho e/ou textura das pintas, procure um médico dermatologista. Se detectado no início, o câncer pode ser tratado cirurgicamente.
 
Os tumores de pele estão relacionados a alguns fatores de risco que envolvem, principalmente, a exposição aos raios UV. Pessoas com a pele muito clara, que têm história familiar de câncer de pele e que trabalham sob o sol são mais vulneráveis à doença.
 
A importância do filtro solar
Um dos protagonistas do verão, o filtro solar deve ser aplicado todos os dias e em todas as áreas expostas do corpo como rosto, braços, mãos, colo, orelha, nuca e dorso dos pés. Em caso de exposição direta ao sol, deve ser reaplicado a cada duas horas. Quem tem pele clara deve usar, diariamente, filtros com FPS 30 (no mínimo) e, para exposição mais intensa, de 50 (no mínimo). Peles mais morenas podem usar FPS 15 no dia a dia e FPS 30 durante a exposição direta ao sol.
 
Cuidados no dia a dia
Para uma proteção completa, evite a exposição solar no horário de maior incidência dos raios, que é das 10h às 16h. Outra dica importante é investir na proteção física, com chapéu, guarda-sol e óculos escuros. A hidratação também é fundamental para a saúde da pele e do corpo de maneira geral. Por dia, o recomendado é beber de dois a três litros de água para evitar a desidratação e o ressecamento da pele.

Share

NOTÍCIAS RELACIONADAS:

Ver Outra Notícia
CEPEM Exame

Affirm Prone 3D – O novo sistema de biópsia mamária em 3D

No processo de rastreio de nódulos da mama, uma etapa decisiva é a realização de ...

Veja mais

CEPEM Vacinas

Você está em dia com o calendário de vacinas?

A imunização facilita o controle e a erradicação de doenças que podem ser preven ...

Veja mais

CEPEM Médico

Formas de prevenção para as doenças femininas mais incidentes no Brasil

O Dia Internacional da Mulher amplia o debate em relação à conscientização sobre ...

Veja mais

CEPEM Médico

Saúde ginecológica da mulher em pauta

No Brasil, para 2019, estima-se o surgimento de 16.370 novos casos de câncer de colo ...

Veja mais